Dia do Psicólogo – 27 de Agosto

25 de agosto de 2014

Dia do psicologo Em 2004, foi instituída a Política Nacional de Atenção à Saúde Auditiva pelo Ministério da Saúde, tendo como um dos objetivos principais garantir à pessoa portadora de deficiência auditiva o melhor uso possível do seu resíduo auditivo. Para tal, é exigida a formação de uma equipe multiprofissional composta por médico, fonoaudiólogo, psicólogo e assistente social, que será responsável por prestar assistência especializada às pessoas com doenças otológicas e às pessoas com deficiência auditiva. A inserção do psicólogo na Otorrinolaringologia se dá nesse contexto político e abre a possibilidade de um trabalho que possa trazer à tona a singularidade do paciente surdo, sem reduzi-lo a uma deficiência. Isso permite fugir da visão “psicologizante” da surdez, ou seja, pensá-la como uma síndrome que acarreta a todos os pacientes a mesma dificuldade. A experiência de ser ou tornar-se surdo, assim como a de ter um filho surdo envolve aspectos psíquicos que existem em todos os seres humanos, mas a maneira como é experienciada por cada um é particular, sendo necessário estar atento à forma como o paciente vivencia a surdez e como lida com ela. A partir dessa perspe

18 de julho de 2013

SettonPor: Dr. Roberto Setton (Otorrinolaringologista, Coordenador do Programa de Saúde de Saúde Auditiva do Hospital São José. Aracaju-Sergipe).

Entrevista sobre Surdez em Sergipe

 

Como acontece?

Existem 02 tipos principais de problemas auditivos: aqueles que acontecem na orelha externa e media que normalmente são reversíveis e são chamados de surdez de transmissão e aqueles que acometem a orelha interna, são irreversíveis, chamados de sensorioneurais e necessitam do uso de aparelhos auditivos convencionais ou de tratamento cirúrgico (Implante Coclear).

Existem casos genéticos?

Aproximadamente uma a cada mil crianças apresentam deficiência auditiva grave ou profunda ao nascimento ou até mesmo antes da aquisição da linguagem e em 60% dos casos a etiologia é genética.

2 de fevereiro de 2012

É verão, o Carnaval está chegando, é tempo de se divertir, de curtir o Samba, o Axé, o Frevo, as Marchinhas, o Pagode… E todos os ritmos trazem a festa da alegria!

Mas não esqueça: COM A VOZ E COM A AUDIÇÃO NÃO SE BRINCA!