Tag: otorrinolaringologia

28 de outubro de 2018

Aconteceu em Aracaju-SE, em 18 e 19 de outubro, pela vigésima sexta edição, um curso de nível nacional de elevado reconhecimento científico e prático na otorrinolaringologia do Brasil. Mais de quinhentos profissionais de praticamente todos os estados do Brasil já prestigiaram este curso. Os renomados professores da USP de São Paulo – HC, Domingos Tsuji e Rui Imamura capitanearam o evento.

Neste ano tivemos como convidado especial o conceituado laringologista brasileiro Leonardo Haddad da Unifesp – SP. Outros eméritos professores também participaram com importantes palestras como Paulo Perazzo – BA, Rubens Santos – MA, Alexandre Fernandes – RN e os sergipanos Roberto Setton e Carlos Rodolfo Góis.

Vários estados do Brasil foram representados por assistentes desde o Rio Grande do Sul até o Maranhão.

O ponto mais alto do evento foi a parte prática do curso, com peças anatômicas de laringes frescas, com treinamento “hands on”, dividida em 05 estações: microcirurgia de laringe, LASER em Laringologia, tireoplastias, injeções laríngeas e endoscopia rígida e de contato.

Em nome de toda a coordenação, Jeferson d’Avila e Daniel d’Avila deixam aqui registrado o mais profundo agradecimento a todos os presentes e a confiança depositada ao longo destes muitos anos. Sejam sempre bem-vindos!

 

 

26 de setembro de 2018

Programa de Educação Continuada da Otocenter – FORL em Sergipe – Ontem, 24 de setembro de 2018, mais uma etapa de aprendizado foi realizada. Daniel d’Avila ministrou aula sobre Refluxo Laringofaríngeo – Abordagem Prática. Ressaltamos as excelentes discussões de casos variados e de elevado nível prático. Destacamos a participações especiais e efetivas das conceituadas médicas da equipe Otocenter, Anna Milena Cruz e Mirella Metidieri. A aluna de medicina Mariana pertencente à Liga de Otorrinolaringologia da UNIT (LAOT) apresentou com brilhantismo um caso clínico, que demostra claramente o interesse dos estudantes no Programa de Educação Continuada da FORL Sergipe e da Otocenter. Parabéns a todos. Que continuemos estudando muito, para oferecer uma qualidade de saúde digna ao merecedor povo sergipano. Agradecemos a confiança.

Prof. Dr. Jeferson d’Avila
Diretor Presidente da OTOCENTER

Confira fotos:

16 de setembro de 2018

Aconteceu, nos dias 14 e 15 de setembro de 2018, o 1º Simpósio CLINRADI em Radioterapia para Câncer de Cabeça e Pescoço. Parabenizamos a equipe CLINRADI por mais esse excelente evento de elevado nível científico. Sergipe está muito bem assistido. A Otocenter marcou presença com o colega Daniel d’Avila, que ministrou a palestra “Procedimentos Endoscópicos em Tumores Iniciais de Laringe” e participou da mesa de discussão do módulo de Laringe ao lado de grandes nomes da Oncologia, Radioterapia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço do estado de Sergipe e do Brasil. Aproveitamos para parabenizá-lo pela marcante participação.

“Otocenter – Sua Clínica de Voz, Nariz, Ouvido e Garganta em Sergipe”.

Prof. Dr. Jeferson d’Avila
Diretor Presidente da OTOCENTER

Confira algumas fotos do evento:

Palestrantes, debatores e equipe CLINRADI

Picture 1 of 2

13 de janeiro de 2015

Coceira no ouvido, dor, corrimento são indicativos da doença

Inflamação é comum no verão (Fotos: Verão Infonet)

Coceira, dor, diminuição da audição, corrimento e sensação de ouvido cheio são indicativos da otite externa. Essa doença, muito comum no verão por conta de banhos de mar e em piscinas, pode ser gerada por bactérias, fungos e até por alergias. De acordo com o otorrinolaringologista Jeferson D’ávila, deve-se ficar atento aos sintomas e evitar colocar objetos dentro do ouvido, pois pode ser um meio de contaminação voluntária.

“Otite externa nada mais é do que inflamação com infecção ou não do conduto auditivo externo e da orelha. Com relação aos tipos, existem três: a relacionada a alergias, chamada de eczematosa; a bacteriana, que ocasiona a otites externas variadas; e a micótica, que é a micose causada por fungos”, explica o médico, que faz uma ressalva com relação a eczematosa, pois também pode ser desencadeada por alimentos.

Mais comuns em crianças, a otite externa pode ser desencadeada caso a pessoa possua algum ferimento no ouvido e entre em contato com água contaminada de mar, rio, piscina e até de chuveiro, segundo informa Jeferson. “O ferimento é um fator desencadeador. Mas às vezes há contaminação também sem ferimento, e isso acontece quando há um germe virulento, ou seja, forte”, esclarece.

O médico indica que o tratamento na maioria das vezes é apenas clínico, ou seja, com a realização de limpeza e colocação de soluções adequadas no ouvido, e, a depender do tipo da otite, o paciente pode se tratar com antibióticos, antifúngicos ou antialérgicos. Os casos de cirurgia são indicados apenas quando existem complicações.

E sobre o tratamento sem o devido acompanhamento do otorrinolaringologista, Jeferson D’ávila adverte, e garante que esta é uma prática perigosa. “É proibido colocar remédio sem prescrição médica. Pior ainda é colocar outras substâncias, como álcool, perfume e outras soluções. Isso às vezes dá uma sensação de refrescância, alívio, como se fosse um anestésico, mas piora ainda mais, pois além do quadro de infecção, vai aparecer o irritativo”, chama a atenção.

Otorrinolaringologista fala sobre tratamento

Com relação à prevenção, o médico sugere que as pessoas não mexam no ouvido, pede que tenham cuidado com mergulhos exagerados, principalmente os que demoram muito e os que são em locais profundos, e alerta mais uma vez para que sejam evitados ambientes com água contaminada, como piscinas maltratadas e mar poluído.

Limpeza

Aproveitando os esclarecimentos sobre otite externa, o otorrinolaringologista explica como a limpeza da orelha e do ouvido deve ser feita. “A haste flexível [cotonete] é adequada para o uso na parte do pavilhão da orelha, ou seja, a parte externa. Lá dentro a gente costuma dizer que é bom enxugar com papel higiênico, uma toalhinha, e somente até onde o dedo alcance. É necessário ter todo o respeito com o ouvido e com a manipulação das hastes, pois o mau uso pode fazer com que a cera seja empurrada e compactada, causando, às vezes, um trauma no conduto”, orienta.

Por Monique Garcez

Fonte: http://www.infonet.com.br/verao/2015//ler.asp?id=166355

 

Confira também o vídeo onde o Dr. Jeferson fala sobre otite para a TV Sergipe:

 

13 de abril de 2014

A Campanha Nacional da Voz iniciou-se no Brasil em 1999 por iniciativa da Sociedade Brasileira de Laringologia e Voz (atual Academia Brasileira de Laringologia e Voz), presidida na ocasião por Dr. Nédio Steffen. Sob a liderança do estimado Dr. Mario Andrea, o Dia Mundial da Voz foi proposto em 2002 e comemorado pela primeira vez em 2003.

Em 2014, a 16ª edição da Campanha Nacional da Voz, promovida pela Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) em parceria com a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), tem como padrinhos a dupla sertaneja Fernando e Sorocaba.

Dr. Gustavo Korn, diretor da ABLV e coordenador nacional da Campanha da Voz afirma: “Por meio de ações de orientação e conscientização, a Campanha da Voz promove um processo de sensibilização permanente em relação aos cuidados com a voz”.

Em São Paulo-SP, uma boca inflável gigante construída pela ABLV ficará montada no Parque do Povo (Av. Henrique Chamma, 420 – Pinheiros) durante os dias 12, 13 e, especialmente, no dia 16 de abril (Dia Mundial da Voz) das 9 às 17h.

6 de novembro de 2013

No dia 05 de novembro de 2013, aconteceu a última sessão deste ano da RUTE (Rede Universitária de Telemedicina) – Otorrinolaringologia. Programa coordenado pela UNIFESP (Prof. Dr Carlos Anadão e Prof. Dr. Antônio Pontes) consegue unir todas as primeiras terças-feiras de cada mês,importantes Estados da federação e suas respectivas instituições universitárias. Participam regularmente a própria UNIFESP e as Universidades Federais do Ceará, Rio Grande do Norte, Pará e a nossa Universidade Federal de Sergipe mediante a presença marcante da Disciplina Otorinolaringologia, assumindo por diversas vezes de Aracaju a transmissão nacional. Muitos profissionais, residentes e acadêmicos de todo Brasil participam ativamente das atividades. Geralmente são interativas e com grande aproveitamento. A cada sessão, habitualmente é apresentado um caso clínico e/ou cirúrgico e, logo após, há uma aula expositiva sobre o tema em debate. É muito especial. A participação da platéia e a oportunidade de, ao vivo, estar diante e discutindo com os grandes nomes da ORL brasileira é extremamente gratificante. O índice de ocupação no RUTE de Otorrino está cada vez maior, demonstrando a importância deste programa nacional. Agora, só em 2014. Nova programação deverá ser concluída durante o congresso Brasileiro de Otorrinolaringologia que acontecerá ainda neste mês em São Paulo. Assim que tivermos a mesma definida, enviaremos e a publicaremos em meios de comunicação de interesse. Sejam sempre bem vindos.  Muito obrigado a todos os professores e técnicos ( em Sergipe: Anderson, Gustavo e Uacyr) que se dedicaram neste ano de 2013 e a todos assistentes pelas suas brilhantes apresentações. A OTOCENTER os parabeniza e sempre estará apoiando ações que dignifiquem e honrem o ensino e a pesquisa no Brasil.

6 de novembro de 2013

A OTOCENTER através do Prof. Dr. Jeferson d’Avila, como representante e Coordenador da Disciplina Otorrinolaringologia da UFS, esteve presente e contribuiu com esta semana de estudos e comemorações da UFS, no Campus de Lagarto. A convite das professoras Cristina Fúria e Roxane Irineu, participou da Mesa Redonda sobre Voz Profissional com participação especial do professor de canto e cantor sergipano Kalil. As palestras e discussões sobre o assunto foram estimulantes e altamente produtivas em termos de aprendizado para as profissões envolvidas, assim como para os estudantes do Curso de Fonoaudiologia deste campus específico. O auditório esteve lotado durante todo o tempo disponível. O crescimento da UFS, a interiorização e a oportunidade de difusão de conhecimentos para os sergipanos foram as principais evidências desta importante visita. Estão de parabéns todos os professores e administradores da UFS por tornarem este sonho uma realidade em Sergipe. Nossos parabéns!

SEMANA ACADÊMICA - UFSSEMANA ACADÊMICA - UFS

3 de abril de 2013

O Dia Mundial da Voz é comemorado em todo o mundo. Nasceu na ABLV ( Academia Brasileira de Laringologia e Voz ) e teve como grande mentor e promulgador o Prof. Dr. Nédio Stefen do Rio Grande do Sul. Outros presidentes da ABLV também foram responsáveis pela perpetuação desta campanha no Brasil e no mundo. Dentre estes referenciamos o Prof. Dr. Agrício Crespo, ex-presidente da ABLV e atualmente presidente da ABORL-CCF, que é o órgão oficial da ORL nacional. Dr. Agrício é o Chefe do Serviço de ORL da Unicamp – São Paulo e ocupa lugar de destaque internacional como um dos maiores representantes da medicina do Brasil. Ressaltamos também neste momento o Prof. Dr. Mario Andrea, catedrático da Universidade de Lisboa, como um dos maiores promotores e divulgadores do Dia Mundial da Voz, internacionalmente. A otorrinolaringologia do Brasil agradece todo seu apoio e seu empenho. Como sempre, em Sergipe, diversas atividades estão sendo programadas para comemorar e difundir este dia tão importante para todas as pessoas que utilizam-se da VOZ como instrumento maior e mais fidedigno da comunicação do homem. Em Sergipe normalmente, durante todos estes anos de campanha, os trabalhos são realizados conjuntamente pela otorrinolaringologia e pela fonoaudiologia.Veja a seguir reportagem veidculada recentemente na Rede Globo, com Dr. Agrício, a respeito da voz humana, seu entendimento, seu diagnóstico, seus cuidados e os vários tipos de profilaxia e tratamento das doenças que acometem as cordas vocais. Veja em sequência vídeo educativo produzido pela Universidade Federal de Sergipe ( Fonoaudiologia ), que deverá ser veiculado na comunidade. Agradecemos o envio e o apoio do Prof. Marlos, grande representante da fonoaudiologia em Sergipe. Portanto, mais uma vez a OTOCENTER participa ativamente deste marco da saúde brasileira.

” Cuide da sua Saúde. Cuide da sua Voz “.

Prof. Dr. Jeferson d Avila
Diretor – Presidente da Otocenter

Confira os vídeos abaixo:

1. Dr. Agrício Crespo fala sobre cuidados com a voz no programa Bem Estar da Rede Globo;

12 de julho de 2012

As baixas temperaturas do inverno são responsáveis pelo desencadeamento dos inúmeros processos infecciosos e alérgicos.

As vias respiratórias em geral funcionam como órgão de choque receptor destas situações. Abriga, inclusive na via respiratória alta, uma série de doenças. É justamente nesta parte superior onde se encontra a zona de atuação da otorrinolaringologia. Especificamente neste momento, abordaremos a garganta. É neste tubo músculo-membranoso-cartilaginoso que se encontra a laringe, responsável pela produção do tom fundamental através das pregas vocais. Quando ela está acometida por alguma infecção ou alergia, um processo inflamatório é instalado, podendo gerar edema (inchação), hiperemia (vermelhidão) e produção de secreções variadas. Isto promove impedimento da função normal da laringe, o que acarreta em uma modificação na qualidade da VOZ. A coaptação (junção) perfeita entre as pregas vocais sofre desajuste, não só por esses impedimentos orgânicos, como também por alteração funcional de mobilidade do órgão (paresias e paralisias).

Os sintomas dessas doenças que aparecem mais no inverno são claramente conhecidos tanto por médicos, quanto pela população em geral. O mais precoce de todos é a rouquidão, que geralmente, assim como estas doenças que são auto-limitadas, não ultrapassam o período de 15 dias. Caso isto aconteça, é necessário pesquisa mais rigorosa de outras razões que justifique esta doença de forma mais prolongada.

Acompanhando a rouquidão, pode acontecer tosse produtiva ou seca, dor de garganta e no pescoço, falta de ar e outros sintomas gerais como febre, mal-estar, falta de apetite e cansaço geral.

Mas o que fazer para que tais situações não se apresentem ou que pelo menos venham de maneira mais branda no inverno?

O Prof. Dr. Jeferson D’Avila, médico otorrinolaringologista sergipano e ex. presidente da Academia Brasileira de Laringologia e Voz, recomenda tomar cuidados importantes. Inicialmente com o ambiente em que se vive (casa e trabalho). Estes devem receber bastante luz solar e apresentar boa ventilação e limpeza adequada. Nessa época, devemos sempre lembrar dos cuidados com o vestuário adequado para baixas temperaturas, assim como a alimentação e hidratação bem orientadas.

Para manter uma boa qualidade de vida, ressaltamos a importância da prática de atividades físicas regulares (sob orientação médica). Evitar os excessos como o abuso vocal, o abuso alimentar e de bebidas alcoólicas, também é fundamental.

Como conclusão voltamos ao nosso famoso lema: “Afine sua saúde, cuide de sua VOZ” (NO INVERNO).

WhatsApp