Categoria: ouvido

4 de fevereiro de 2019

Família Otocenter muito feliz em poder levar informação para os telespectadores do Programa Você em Dia da TV Atalaia/ Record TV na tarde desta segunda-feira. A revista eletrônica apresentada pela jornalista @jaquellinecruz trouxe como um dos pontos altos da atração, uma entrevista bastante esclarecedora sobre dicas para saúde dos ouvidos nesta estação, trazendo o destaque para as doenças da orelha externa e otites de verão com o nosso Diretor Clínico, o Otorrinolaringologista Dr. Daniel d’Avila @dr.danieldavila . Ficou curioso para assistir à entrevista na íntegra? Veja abaixo.

 

28 de janeiro de 2019

A Otocenter vai além do espaço físico da clínica! Também chegamos até você pelos principais meios de comunicação do estado! Hoje o nosso Diretor Clínico, o otorrinolaringologista @dr.danieldavila  concedeu uma entrevista ao vivo sobre doenças da orelha externa e otites de verão para a jornalista @danielesimoes.tv  na Rádio CBN Aracaju 90,5 FM.  Agradecemos a todos os ouvintes pela grande audiência!

Confira o Vídeo da entrevista:

 

30 de junho de 2017

Confiram a reportagem publicada no site da Secretaria de Saúde de Sergipe com Dr. Nelson D’Ávila:

Resfriados, gripes e crises de sinusite, otite, asma, bronquite e rinite alérgica estão entre os vilões quando o assunto é inverno. De acordo com o médico otorrinolaringologista Nelson D’Ávila, essas crises são mais facilmente desencadeadas em cidadãos que já possuem esses diagnósticos. Porém, em virtude das aglomerações mais comuns nesta época do ano, qualquer cidadão pode estar vulnerável aos vírus que causam alguns desses agravos e por isso devem estar atentos aos cuidados necessários para evitar o contágio de doenças.

29 de agosto de 2016

Conheça as principais causas, os sintomas e como diagnosticar.

O ouvido é composto por 3 partes: externo, médio e interno. O ouvido médio é uma cavidade com ar localizada entre a membrana timpânica (tímpano) e o ouvido interno. A tuba auditiva (trompa de Eustáquio), um canal osteocartilagíneo de comunicação entre ouvido médio e o nariz, tem a função de ventilação e limpeza.

A otite média aguda é a inflamação e o acúmulo de líquido no ouvido médio (parte do ouvido que é uma cavidade com ar), mais comum em crianças, habitualmente causada por infecções virais das vias respiratórias, como resfriados, gripes ou por algum germe (bactéria).

Aproximadamente 70% de todas as crianças terão pelo menos um episódio de otite média antes de completar os 5 anos de idade. Esses episódios acontecem mais no inverno, período em que o número de doenças respiratórias é mais alto.

Além da idade e do inverno, existem outros fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da otite média aguda, como: frequentar creches, histórico familiar, fumo passivo (pais que fumam perto da criança), curta duração do aleitamento materno ou até a posição de alimentar a criança com a mamadeira. Mas para chegar a ser uma otite média aguda é necessário a interação de vários fatores, sendo os principais a infecção e a disfunção da tuba auditiva.

E quais são os sintomas?

Os principais sintomas são dor – normalmente severa e de aparecimento rápido – e irritabilidade, com ou sem diminuição da audição. Esses sintomas normalmente também estão associados a febre, saída de secreção do ouvido, falta de apetite, fraqueza, dificuldade para dormir e choro persistente.

Como diagnosticar e qual o tratamento?

Para a certeza do diagnóstico o paciente deverá ser examinado por um médico, de preferência otorrinolaringologista, que vai analisar os sintomas e examinar o ouvido através de um exame específico chamado otoscopia. O médico vai avaliar o estado da membrana  do tímpano junto com os sintomas para diagnosticar a otite média aguda.

O melhor tratamento é realizado através do uso de medicações sintomáticas, nos casos mais brandos, com reavaliação do paciente em 48 a 72 horas e, sendo identificado que a doença é causada por bactéria, é associado ao uso de antibiótico escolhido pelo médico.

A melhor maneira de evitar episódios de otite média aguda é estar bastante atento aos fatores que ajudam no seu surgimento e evolução, evitando que em períodos do ano, como no inverno, não se tenha um aumento de sua incidência. Qualquer dúvida, consulte um médico.

 

Thiago Cavalcante Ribeiro

Otorrinolaringologista – CRM SE: 4004
Especialista em Otorrinolaringologia pela ABORL-CCF
Residência em Otorrinolaringologia pelo Hospital Santa Izabel – Bahia
Fellow em Cirurgia Otológica – Implante Coclear – Hospital Irmã Dulce – Bahia
Membro do Corpo Clínico da Clínica Otocenter – Sergipe

16 de julho de 2015

O I Curso de Formação em Reabilitação Auditiva é fruto de um projeto de extensão realizado por meio de uma parceria Técnica e Científica firmada entre o curso de Fonoaudiologia da UFS- Lagarto e o serviço de Saúde Auditiva de Alta Complexidade do Estado de Sergipe. Com a finalidade de capacitar Fonoaudiólogos para atuação na área de Reabilitação Auditiva no estado, o curso teve inicio na última sexta-feira dia 10 de julho no auditório do Hospital São José e contou com a presença de 50 Fonoaudiólogos que foram selecionados entre os 115 inscritos.

O objetivo é realizar capacitação de profissionais para o atendimento às pessoas com Deficiência Auditiva no estado de Sergipe por meio da construção de uma rede de Contra-Referência no atendimento à saúde auditiva no estado. O evento contou com o apoio Integral da Equipe de Saúde Auditiva que atua por meio da Otocenter no Hospital São José e participou ativamente na execução do I Módulo do Curso, juntamente com a Profª Scheila Paiva do Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal de Sergipe em Lagarto (coordenadora do projeto).

O Curso é gratuito, possui a modalidade semipresencial e conta com o apoio direto das empresas de Implante Coclear e de Aparelhos Auditivos como parceiras na viabilização do mesmo. Serão realizados encontros presenciais e virtuais, além de consultorias e visitas técnicas previamente agendadas.

 

CONTEÚDO PROGRAMATICO E CRONOGRAMA

 

MÓDULO I – PRESENCIAL – “ATUALIZAÇÃO EM DISPOSITIVOS ELETRÔNICOS”

DATA: 10 DE JULHO DE 2015

 

MÓDULO II – VIRTUAL – “AVALIAÇÃO, PROCEDIMENTOS E ENCAMINHAMENTOS JUNTO À REFERÊNCIA EM SAÚDE AUDITIVA”

DATA: 07 DE AGOSTO DE 2015

 

MÓDULO III – PRESENCIAL – “ESTRATÉGIAS E ABORDAGENS NA REABILITAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA-PARTE I”

DATA: 10 E 11 DE SETEMBRO DE 2015

 

MÓDULO IV -VIRTUAL – “FAMÍLIA, INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EM DEFICIÊNCIA AUDITIVA”

DATA: 09 OUTUBRO DE 2015

 

MÓDULO V – PRESENCIAL – “ESTRATÉGIAS E ABORDAGENS NA REABILITAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA-PARTE II”

DATA: 13 DE NOVEMBRO DE 2015

 

CARGA HORÁRIA TOTAL: 50 horas

 

Confira as fotos do primeiro dia de aula, em 10 de julho 2015:

31 de maio de 2015

É com grande satisfação que o Serviço de Saúde Auditiva do Hospital São José – Otocenter,  tem a honra de divulgar para toda a sociedade Sergipana, o aniversário de um ano do Programa de Implante Coclear pelo SUS no Estado de Sergipe. Nesta ocasião, reuniram-se todos os pacientes implantados,  seus familiares bem como a equipe envolvida no processo de reabilitação auditiva. É interessante ressaltar que este é o único Serviço do Estado de Sergipe habilitado pelo Ministério da Saúde a realizar tal procedimento pelo SUS. Conta com equipe altamente treinada e atende a todos os requisitos impostos pelas portarias governamentais que regem este tipo de necessidade da população.  Foi um momento de congraçamento onde muitos depoimentos foram dados denotando a enorme satisfação de pacientes e profissionais. A concretização deste sonho permite oferecermos, com excelência, a toda a população do Estado de Sergipe um Serviço capacitado em devolver a nossos conterrâneos a possibilidade de escutar. Agradecemos profundamente aos pacientes e a comunidade em geral pela enorme confiança em nós depositada em prol desta grande causa.

Dr. Roberto Setton

Coordenador do Programa de Saúde de Saúde Auditiva do Hospital São José – Otocenter

Confira o vídeo do evento realizado pela TV Atalaia:

Fonte do Vìdeo: http://a8se.com/tvatalaia/je1/37082/dois-sergipanos-surdos-descobrem-os-sons-atraves-do-aparelho-039ouvido-bionico039.html#video

 

31 de maio de 2015

A Otocenter está participando ativamente deste projeto de grande impacto social no Brasil. Em Sergipe a Otocenter, pelo terceiro ano consecutivo atua realizando gratuitamente o Exame de Otoemissão Acústica ( Teste da Orelhinha ). Além de orientações gerais sobre a saúde da garganta, do ouvido e do nariz. A equipe administrativa, sob a coordenação de Gleidson Prado está totalmente preparada para a prestação destes serviços à população de Aracaju. Em especial agradecemos aos fonoaudiólogos e otorrinos participantes deste evento. Sentimo-nos bastante honrados pela confiança depositada na Equipe Otocenter, assim como muito felizes em poder oferecer esta contribuição voluntária. Parabéns a todos envolvidos com esta proposta social.

Dr. Jeferson Sampaio D’Avila
Diretor Presidente da Otocenter

28 de maio de 2015

Vimos através deste, comunicar oficialmente que neste mês de maio de 2015 estaremos comemorando UM ANO de realização de IMPLANTE COCLEAR – CIRURGIA DO OUVIDO BIÔNICO pelo SUS em Sergipe. O Hospital São José é o único referenciado e habilitado pelo Ministério da Saúde no nosso estado. O mesmo além de ser referência estadual para este tipo de cirurgia de alta complexidade, é também referência em Saúde Auditiva – Próteses Auditivas pelo Ministério da Saúde.
No DIA 29 de MAIO de 2015, sexta-feira, haverá o PRIMEIRO ENCONTRO DOS PAIS DE IMPLANTADOS DO HOSPITAL SÃO JOSÉ. Serão realizadas várias palestras ministradas pelos profissionais da equipe de IMPLANTE COCLEAR do Hospital São José. Convidados especiais também se farão presentes.
Será um momento ímpar de análise crítica deste programa nacional. O Encontro servirá também para aprimoramento e criação de estratégias futuras.
Além de ser uma grande oportunidade de troca de experiências entre os pacientes implantados e toda equipe profissional responsável.
Especial momento de confraternização.
O Encontro deverá ser um marco de conquista, pois é indescritível com palavras, poder expressar o elevado índice de satisfação e melhoria da qualidade de vida dos pacientes submetidos a esta cirurgia do ouvido biônico. A reintegração social é o ponto mais importante alcançado pelo projeto. Acontecerão vários depoimentos dos pacientes e dos pais das crianças implantadas.
A presença dos pacientes e a possibilidade de entrevistas, depoimentos, etc; possibilitará à IMPRENSA de Sergipe uma cobertura especial deste grande marco da Medicina de Sergipe.
Agradecemos antecipadamente a todos os órgãos e aos profissionais que realizarem a cobertura do evento. Sejam bem vindos.

DATA DO ENCONTRO – 29 de MAIO de 2015.
LOCAL – HOSPITAL SÃO JOSÉ – AUDITÓRIO PRINCIPAL.
HORÁRIO – 8 HORAS às 12 HORAS.

Contatos para entrevistas:
OTOCENTER MATRIZ (79) 3024-8600. OTOCENTER FILIAL (79) 3215-3000

20 de março de 2015

O nosso Curso de 2015 foi coroado de grande êxito. Os assistentes foram procedentes do sudeste e em especial de vários estados da região nordeste. A competência didática dos Professores Luiz Ubirajara Sennes, Domingos Tsuji, Rui Imamura e Patrícia Santoro. O elevado nível de conhecimento promoveu aos participantes um curso de excelência e de alto padrão. Como pontos de relevância, podemos citar a discussão e a interatividade entre alunos e professores, tornando o curso com especial diferencial de aprendizado prático. Casos clínicos e cirúrgicos foram abordados com variadas apresentações vídeo-documentadas. No Módulo Exames ao Vivo de pacientes, foram avaliados presencialmente 10 pacientes com variadas doenças de diagnóstico endoscópico.  Estes casos foram intensamente discutidos e encaminhados para suas devidas evoluções. Como costuma acontecer, a evolução destes é enviada posteriormente aos alunos participantes. No Módulo de Dissecção Anatômica foram preparadas 25 peças anatômicas frescas. Os alunos tiveram a oportunidade de, “ HANDS ON “, praticar endoscopia rígida e de contato,  diversas cirurgias como as microcirurgias endolaríngeas, tireoplastias; além de dissecção anatômica descritiva do pescoço, da faringe e da laringe. Agradecemos neste momento à UNIT (Universidade Tiradentes) pela importante parceria realiada, em especial em nome dos Professores Francisco do Prado Reis e Hesmoney Santa Rosa, que prestaram total assistência. Mais uma vez agradecemos a confiança de todos os alunos que compareceram à Aracaju e esperamos recepcioná-los com futuros cursos mais aprimorados e de elevado padrão de aprendizado.

 

Confira as fotos do evento:

 

 

13 de janeiro de 2015

Coceira no ouvido, dor, corrimento são indicativos da doença

Inflamação é comum no verão (Fotos: Verão Infonet)

Coceira, dor, diminuição da audição, corrimento e sensação de ouvido cheio são indicativos da otite externa. Essa doença, muito comum no verão por conta de banhos de mar e em piscinas, pode ser gerada por bactérias, fungos e até por alergias. De acordo com o otorrinolaringologista Jeferson D’ávila, deve-se ficar atento aos sintomas e evitar colocar objetos dentro do ouvido, pois pode ser um meio de contaminação voluntária.

“Otite externa nada mais é do que inflamação com infecção ou não do conduto auditivo externo e da orelha. Com relação aos tipos, existem três: a relacionada a alergias, chamada de eczematosa; a bacteriana, que ocasiona a otites externas variadas; e a micótica, que é a micose causada por fungos”, explica o médico, que faz uma ressalva com relação a eczematosa, pois também pode ser desencadeada por alimentos.

Mais comuns em crianças, a otite externa pode ser desencadeada caso a pessoa possua algum ferimento no ouvido e entre em contato com água contaminada de mar, rio, piscina e até de chuveiro, segundo informa Jeferson. “O ferimento é um fator desencadeador. Mas às vezes há contaminação também sem ferimento, e isso acontece quando há um germe virulento, ou seja, forte”, esclarece.

O médico indica que o tratamento na maioria das vezes é apenas clínico, ou seja, com a realização de limpeza e colocação de soluções adequadas no ouvido, e, a depender do tipo da otite, o paciente pode se tratar com antibióticos, antifúngicos ou antialérgicos. Os casos de cirurgia são indicados apenas quando existem complicações.

E sobre o tratamento sem o devido acompanhamento do otorrinolaringologista, Jeferson D’ávila adverte, e garante que esta é uma prática perigosa. “É proibido colocar remédio sem prescrição médica. Pior ainda é colocar outras substâncias, como álcool, perfume e outras soluções. Isso às vezes dá uma sensação de refrescância, alívio, como se fosse um anestésico, mas piora ainda mais, pois além do quadro de infecção, vai aparecer o irritativo”, chama a atenção.

Otorrinolaringologista fala sobre tratamento

Com relação à prevenção, o médico sugere que as pessoas não mexam no ouvido, pede que tenham cuidado com mergulhos exagerados, principalmente os que demoram muito e os que são em locais profundos, e alerta mais uma vez para que sejam evitados ambientes com água contaminada, como piscinas maltratadas e mar poluído.

Limpeza

Aproveitando os esclarecimentos sobre otite externa, o otorrinolaringologista explica como a limpeza da orelha e do ouvido deve ser feita. “A haste flexível [cotonete] é adequada para o uso na parte do pavilhão da orelha, ou seja, a parte externa. Lá dentro a gente costuma dizer que é bom enxugar com papel higiênico, uma toalhinha, e somente até onde o dedo alcance. É necessário ter todo o respeito com o ouvido e com a manipulação das hastes, pois o mau uso pode fazer com que a cera seja empurrada e compactada, causando, às vezes, um trauma no conduto”, orienta.

Por Monique Garcez

Fonte: http://www.infonet.com.br/verao/2015//ler.asp?id=166355

 

Confira também o vídeo onde o Dr. Jeferson fala sobre otite para a TV Sergipe:

 

WhatsApp